CARO LEITOR: PARA OUVIR OS VÍDEOS, DESLIGUE O PLAY-LIST NO RODAPÉ DA PÁGINA. NAVEGUE COM A. M. O. R.

sábado, 30 de outubro de 2010

OS INFERNOS DA ILUMINAÇÃO


The Hells of Enlightenment


Pode parecer um paradoxo se falar em inferno e relacionar o tema à iluminação. Mas é isso mesmo. A simbologia do inferno é o fogo, mas o fogo que depura as impurezas, que lapida o diamante. Portanto, os infernos evolutivos não são negativos; os involutivos sim. E quem faz seu inferno ser positivo ou negativo é o próprio ser humano.

Difícil para nós? Muito! Mas porque ainda somos lunares, ou seja, negativos. Encaramos os infernos como sofrimentos. Não são. São desafios. São metas cósmicas que temos que atingir, mais dia menos dia. Essas metas, esses desafios, segundo nossa condição espiritual, podem ser sofrimentos ou não. Tudo é uma questão de ótica, porque o sofrimento está no ser que o experimenta e não na dor em si mesma.

Como não sofrer com a dor? É um exercício de burilamento diário. É um processo de autoeducação e autocondicionamento que requer empenho e determinação extremos. Mas não é impossível.

Estamos tão mergulhados em sombras, em negativismos, em autofragelos emocionais que a luz nos incomoda e a felicidade nos traz desconforto. Quando estamos bem de saúde, de condição profissional, de situação financeira, de relacionamento afetivo, o que acontece? Caímos no tédio. Ah, que vida chata! Nada acontece de novo! E vamos atrás de alguma encrenca para movimentar a incômoda pasmaceira. Não estamos preparados para sermos felizes, ainda precisamos do desassossego para nos sentirmos vivos.

E quando vem alguém e nos diz e demonstra que é fácil ser feliz, que basta sermos simples e puros de coração, nós lhe oferecemos o inferno.

OS QUATRO INFERNOS DE JACKSON

O Inferno Emocional: quando teve a infância roubada, mutilada; quando teve sua inocência colocada à prova pela exposição a lugares e situações inadequados à sua idade; por não ter podido brincar quando era a hora, sonhar quando era a hora, se divertir quando era a hora. A dor foi na razão direta do passo iluminativo. Ganhou força espiritual.

O Inferno Físico: logo após o diagnóstico de vitiligo, nos anos 80, veio também o diagnóstico de lupus sistêmico. Enfermidades silenciosas e danificadoras. Imaginem o que é para um negro mundialmente famoso, dependente da sua imagem como astro - afinal, nós ainda condicionamos o amor à aparência -, ver sua pele se enchendo de manchas descoloridas e nada poder fazer para conter o infortúnio. O lúpus trouxe-lhe perigos e desconfortos em quantidade, e o tratamento, à base de cortisona, doloroso e paliativo. Ambas, enfermidades incuráveis e degenerativas, mas ele sofreu seu inferno sem revolta, sem alarde, mesmo tendo que suportar os juízes do mundo o acusando de racista e drogado.

O Inferno Afetivo: ele queria ser pai e para sê-lo casou-se com a herdeira de Elvis, Lisa Marie Presley. Ele é um gênio, um astro e um missionário; ela o queria comum, daqueles que trabalham durante o dia; dormem à noite, fazem sexo pelo menos três vezes por semana, tomam cerveja aos sábados no Bar do Zé e assiste futebol no domingo, pela TV. Mas Michael não é comum. Ele é um rei. Ela não entendeu e os filhos não vieram, mas veio a separação e ela foi para a imprensa chamá-lo de manipulador, idiota, egoísta... Dor e frustração, mas Michael superou, sem ter aberto mão da sua identidade espiritual e sem uma única palavra de revanche à Lisa Marie. Michael não se adapta a regras, ele as suplanta.

O Inferno Moral: Se Jesus teve um traidor em sua passagem pela Terra, Michael teve vários: Evan Chandler, Jordan Chandler, Janet Arvizo, Gavin Arvizo, Martin Bashir, Diane Diamond, Tom Sneddon, Tommy Mottola...
Preso injustamente, algemado como um bandido perigoso, julgado como um criminoso. Não lhe imputaram crime algum, mas a palavra dita jamais pode ser recolhida e Michael foi "crucificado" mesmo sendo inocente.






















Dois mil anos separam esses dois acontecimentos e a Humanidade ainda em nada mudou:  presos e condenados por fazerem da Bondade a sua bandeira.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

APAIXONADA POR ESTA CABELEIRA


PASSIONATE ABOUT THIS WIGS


Mas sem barba ficou melhor!



domingo, 24 de outubro de 2010

O PODER DA PALAVRA
THE POWER OF THE WORD

          Falar sobre o poder das coisas, ou melhor, das energias, é uma responsabilidade muito grande, ainda mais quando se propõe tratar do poder da palavra, porque é a palavra a ferramenta que vou usar para tal.
          
          Sabemos que tudo - absolutamente tudo - no Universo é energia, é vibração, é imantação, portanto, propaga-se no tempo e no espaço. Nós, seres vivos, universo em miniatura que somos, também somos energia pura, pois que até as coisas aparentemente densas e inanimadas são energias latentes. O que difere as diversas espécies e reinos da Criação Divina é o nível vibratório, ou seja, o padrão de energia de que se constituem: densa, sutil, quintessenciada...


          Hoje, eu quero falar da palavra, ou seja, o poder do verbo. E o poder é tamanho que o Universo que habitamos foi gestado pelo verbo... "Faça-se a luz, e a luz se fez." O verbo cria, molda, destrói... o verbo gesta a vida ao nosso redor a cada fração de segundo.


          E como tudo é energia, então tudo vibra, tudo circula, tudo se movimenta, tudo atrai. Fala-se muito, na literatura da psicologia moderna, sobre o poder do pensamento. Cuidar do que se pensa atrai ou repulsa, dependendo do que se quer e o que não se quer.


          Porém, não vejo muito a advertência no cuidado com o que se diz. Levemos em conta que a palavra é o pensamento materializado, portanto, energia dupla.


          Se nosso hábito é nos comunicarmos por um vocabulário chulo, ou maldoso, ou mesmo de baixo calão, nos tornamos um ímã para energias do mesmo padrão vibratório que gravitam ao nosso redor e, ao longo da caminhada encarnatória, vamos nos densificando, externa e internamente; vamos acumulando energias turvas. Isso vai se refletir em nosso semblante, que se torna pesado; em nosso tom de voz, que se eleva desnecessariamente; enfim, em nossa saúde física, mental e emocional. Perdemos nosso eixo psico-físico-emocional.


          Eu costumo dizer que não se conhece uma pessoa até ela abrir a boca, ou podemos achar uma pessoa lindíssima até ela abrir a boca. Não há beleza que resista ao mal-falar, à má-palavra.


          Estamos atravessando uma etapa planetária bastante densa, com uma humanidade bastante degenerada e inconsciente, onde o verbo quase que indiscriminadamente é de nível vibracional baixo, muito baixo. Resultado disso é que pessoas que têm comportamento diferenciado do status quo são vistas com desconfiança, são tidas como estranhas, mulheres frescas ou homens afeminados...


          Jackson sempre falou a linguagem dos iluminados, o verbo sutil, o bom-versar, não porque é estranho ou afeminado, mas sim porque já se constitui internamente de energias sutis, limpas, claras. Se Michael esparge este padrão de energia, vai no contraponto da energia que circunda o planeta por conta da densidade da espécie que o habita. Aí ele choca as pessoas e se sente chocado com elas. É tudo uma questão de nível vibracional.


          Michael, ao longo da vida, no enfrentamento de seus embates ideológicos e comportamentais com a sociedade, aprendeu alguns palavrões - até mesmo por defesa -, mas evita ao máximo verbalizá-los, não porque é fresco ou afeminado e sim porque é um sábio.





Mais uma lição de Michael
para a Humanidade 

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

NUM GESTO TÍMIDO,
UM TURBILHÃO DE SENTIMENTOS


IN A GESTURE COY,
A WHIRLWIND OF FEELINGS


Ele não soube fazer Michael ouvir "eu te amo"
mas soube fazê-lo sentir "eu estou aqui".

          Eu tenho em conta que essa é a imagem mais significativa e forte da vida de Jackson. Não estou dentro dele para saber, mas eu sinto isso na alma.
          Um gesto tímido, quase escondido.... apenas um toque; e vale mais do que um turbilhão de palavras, ainda mais vindo desse homem,  o duro Joe Jackson.
          Houve um tempo em que a minha mágoa em relação ao Joe era maior do que a própria mágoa de Michael. Eu tomei as dores mesmo, tive sentimentos duros e negativos com relação a ele, afinal, ele machucou profundamente o Amor da minha Alma.
          Mas, quando me deparei com essa foto, algo começou a mudar dentro de mim com relação a esse homem que deu a vida a Michael. E pude ver que ele não é tão duro assim, que ele tem sentimentos, que ele ama esse filho com paixão..., mas ele não sabe dizer. Como deve ser terrível não saber falar! Que passado duro e árido teve Joe para deixá-lo assim tão mudo!
          Acho que a mágoa maior de Michael - muito maior do que a dor das surras de chicote - era a dor de nunca ter ouvido da boca do pai um tão furtivo quanto "eu te amo!" Acho que teria bastado uma vez. Mas Joe não sabe falar o que sente, não sabe demonstrar o que sente, sente-se menos homem em admitir que sente algo por alguém.
          Eu não consigo imaginar o sofrimento interno desse homem, a dor muda que ele carrega no peito a ponto de lhe comer as palavras. Sim porque Joe Jackson não é tímido, e o tímidos falam... baixinho mas falam. Mas Joe não sabe falar.
          Esse pequeno gesto de Joe que o redimiu perante minha alma, só não é maior do que o gesto de Michael em perdoá-lo. Mais difícil do que não saber falar é saber perdoar, porque o perdão só existe quando é de coração.
          Apesar das profundas cicatrizes, o velho Joe cumpriu o seu papel. Talvez a divindade tenha roubado as palavras de Joe para que elas não interferissem na lapidação do seu diamante. Michael entendeu as dificuldades emocionais do pai, entendeu o seu papel e deu o primeiro passo. Era 2001, ele mesmo já era pai de três filhos, e estava a caminho de seu discurso de lançamento da Fundação "HEAL THE KIDS", na Universidade de Oxford, na Inglaterra, quando falou para uma platéia repleta de acadêmicos. Nesse dia, pela primeira vez desde os seis anos de idade, ele o chamou de "papai". Inimaginável esforço de ambos.

Michael, você é minha escola viva!        

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

MICHAEL,
O Amor de todas as raças e idades!


Vocês conseguem imaginar...
um Michael japonês???

video



Veredito: CULPADO!
Por despertar e merecer tanto AMOR!


video



Já ouvimos contar essa mesma história
há dois mil anos atrás

Reconheçam-se esses dois personagens pela simplicidade, pelo brutal carisma, pelo semblante sereno, pelo sorriso de Luz, pela candura angelical, pela força interior, pelo espírito solidário, pela capacidade de amar incondicionalmente, pelo exercício do perdão, pela luta em favor do Bem da Humanidade... 


Fonte dos vídeos: www.youtube.com

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

RUMO À IDADE DE OURO
TOWARD THE AGE OF GOLD


          Os homens de Ciência não falam nada, os homens de Religião não falam nada, os homens de Governo não falam nada, no entanto, estamos a poucos passos de uma grande transição planetária.

          Nosso Sol tem nos arremessado grandes explosões de raios de toda ordem, sacudido que está por forças maiores (tempestades solares). Nossos oceanos se resfriam e se entumescem com o derretimento da calota polar provocado pelo aquecimento global; já perdemos 15% do Polo Ártico. Nossas matas se incendeiam pela força dos raios solares extremos ou pela irresponsabilidade dos homens.

          Hoje, não temos mais as estações intermediárias do outono e da primavera. Restaram-nos verão e inverno, coexistindo simultaneamente, pois temos dias escaldantes e logo depois outros extremamente frios por causa das correntes geladas dos oceanos.

        Estamos, portanto, vivendo o caos natural, assentados sobre um barril de pólvora, e ninguém diz nada. A Humanidade segue na mais triste e completa ignorância e inconsciência do seu destino.
          
          Porém, não é somente a natureza que está em convulsão; a Humanidade também. O Mal se avoluma de tal forma que nossa geração não se recorda de ter presenciado os níveis de crueldade e de loucura que hoje presenciamos. Os consultórios psiquiátricos nunca estiveram tão lotados de pacientes. Parece que o homem enlouqueceu coletivamente, perdeu a noção do Bem e do Mal, caiu abaixo do nível da selvageria.
                 
          Em contrapartida, alguns poucos despertam para um nível de consciência muito mais aberto e elevado, solarizam-se e enxergam a Luz, o Bem e o Amor. É o paradoxo do processo cósmico que ora vivemos. A mesma energia que sacode fisicamente nosso ORS (sétimo sol das Plêiades), sacode física e emocionalmente a Humanidade e os extremos se agigantam. O joio está sendo separado do trigo para a grande transição do Planeta.

          Mas não estamos sós nesta jornada. A Divindade nunca desiste de suas criaturas. Prova disto é que seres evoluídos sempre nos acompanham para nos servirem de norte, de bússolas, de guias de conduta e pensamento em nossa caminhada evolutiva. Sempre há alguns deles espalhados pelo mundo em suas missões planetárias e, no Século XX, último século antes da grande transição, a Terra pôde contar com uma legião do Bem: a legião do Grande AVATAR.

          Ouvimos falar de seus feitos, suas lutas, suas vitórias, seus tormentos e suas mortes. Mas por que morrem os heróis? Por que a maioria tem vida breve? Porque são missionários. Cumprem suas missões e retornam ao seu habitat planetário. Lembrem-se de que os seres estelares andam por aí, misturados a nós: não são verdes, cabeçudos, nem têm antenas saíndo do cérebro. Eles se mostram como qualquer um de nós na forma - o que difere é o conteúdo - e trabalham incansáveis na preparação de um mundo melhor. 

          Uma legião deles, a nível mundial: Martin Luther King, Mahatma Gandhi, John Kennedy, Robert Kennedy, Madre Teresa de Calcutá, Lady Diana, John Lennon, Nelson Mandela... e outros mais próximos a nós brasileiros: Irmã Dulce, Frei Damião, Chico Xavier, Chico Mendes...; e, por fim, os aprendizes, missionários menores, os girassóis do Planeta, milhares pontos de Luz espalhados nos cinco continentes à espera do grande momento: a inserção da Terra no Cinturão de Fótons do Sol Alcione, a nova Idade de Ouro, a nova Idade de Luz, a nova Raça Kohadi.


Cinturão de Fótons do Sol Alcione


          Todos - missionários e girassóis - trabalham sob o comando e sob a proteção da Alma Cósmica do Grande AVATAR da Humanidade.           


O mesmo Sorriso, a mesma Serenidade,
a mesma Autoridade

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

MICHAEL, SÓ VOCÊ É CAPAZ DISSO!
MICHAEL, ONLY YOU CANT IT!

Ontem, dia 12 de outubro, quando voltava de viagem ao Sul de Minas Gerias, para variar, eu vim pensando em Michael e em tudo que ele significa para mim e para o mundo. Tinha uma lua crescente no céu limpo e descampado da Serra da Mantiqueira, e eu olhava para ela como se quisesse ouvir algo ou ver alguém. E chorei. Não de triste ou de saudosa... chorei de feliz. Peguei o bloquinho de notas que invarialvemente trago comigo na bolsa, exatamente para esses momentos inesperados da alma, e escrevi:

Michael é Luz rasgando a escuridão. É a transição da inconsciência para a consicência cósmica, do período lunar (trevas) para o período solar (luz) do Planeta.

"Morrer" foi preciso para enxergarmos a Luz de Michael, como preciso foi que Jesus morresse pelos mesmos fins. A Humamnidade, no estágio evolutivo em que está, só caminha para a frente na Dor. É quando nos sentimos mutilados que damos conta do Bem que perdemos, ou que, simplesmente, deixamos passar despercebido.

Foi preciso que as luzes do palco se apagassem, foi preciso que os holofotes do maior astro do Planeta se desligassem para que a LUZ do homem sobressaísse na escuridão.

Perdoa, meu Amor! Perdoa por eu ter demorado tanto a lhe encontrar. E você estava tão perto...

Perdoa por ter olhado para você por tanto tempo apenas sob as luzes dos palcos, apenas por trás do sorriso encantador e sedutor, apenas por trás do carisma que arrasta multidões, apenas pela magia escondida sob seus pés, apenas pelos seus incontáveis recordes, ou pelos seus grandes feitos filantrópicos.

Perdoa por não ter visto antes a sua Luz Divina, a sua Alma Cósmica, a sua missão Crística!

Hoje eu posso vê-lo claro e límpido como um cristal lapidado. E choro. Choro da felicidade de ter sido capaz de vê-lo a tempo, de tocá-lo com a alma, de sentir o seu perfume não importa a distância em que você esteja.

E eu lhe agradeço. Meu amor, como eu agradeço!

Agradeço por se deixar ver, por fazer de mim um de seus girassóis e por me encher de AMOR... esse Amor que o tempo não corrói e que a distância não arrefece. Um Amor que me atinge em qualquer tempo, em qualquer lugar, em qualquer situação. Um Amor que me faz pensar, aprender e viver você cada minuto do meu dia e ir beber na sua fonte nos meus desdobramentos.

Agradeço esse olhar que me transmite força e serenidade ao mesmo tempo; esse sorriso que ilumina a alma e desfaz qualquer tristeza, esse semblante de Poder e candura. O paradoxo convive em sua alma com a sutileza de um encontro divino das formas e dos Valores.

Como é bom ter você dentro de mim! Como é bom poder vê-lo, ouví-lo, sentí-lo, abraçá-lo muito além dos nossos pobres cinco sentidos. Ver, ouvir, sentir e tocar com a alma é uma sensação tão arrebatadora que nenhuma palavra do nosso vocabulário poderia expressar.

Mas, para você eu não preciso me expressar, porque você vê e sente meu coração!

Mas, só para ilustrar, eu repito a célebre frase que você me diz todos os dias: EU TE AMO!... acrescento: E PARA SEMPRE!


Só VOCÊ é capaz disso em público!

 

domingo, 3 de outubro de 2010

DIALÉTICA DA GRATIDÃO


THE DIALECTIC OF GRATITUDE

"O que você pensa, você sente.
O que você sente, você vibra.
O que você vibra, você atrai"

          As Leis Divinas que regem o Universo são inúmeras, mas os manipuladores e controladores da mente humana só deixaram chegar até nós uma pequena minoria delas, aquelas que não colocariam em riscos os seus interesses mundanos e espúrios.
          A Lei da Atração é uma delas, afinal, o que seria dos aproveitadores e dos pseudo-poderosos se nos descobríssemos senhores do nosso próprio destino? Se nos descobríssemos capazes de escrever e reescrever a nossa história - "Every day create your HIStory" - com nossos próprios pensamentos, sentimentos e atitudes? Mas é exatamente isso que somos: Seres Capazes. Basta descobrirmos e deixarmos fluir a centelha divina que existe em nós: a ALMA.
          Dentre nossos Valores esquecidos está uma virtude que quase nunca, ou mesmo nunca, usamos e que tem um poder energético imensurável: GRATIDÃO.
       Ser grato caiu em desuso e o homem caiu em desgraça, porque a gratidão é um dos elos mais poderosos para nos conectar ao Universo. É quase que uma conversa com a Divindade. Nada atrai mais prosperidade do que a gratidão,  pois quando deixamos de enxergar só aquilo que não temos e passamos a valorizar aquilo que temos, passamos a ver a vida por uma outra perspectiva, que é a perspectiva da positividade. Se vibramos positividade, atraímos positividade.
         Se pararmos para pensar por alguns instantes, vamos nos surpreender com o quanto temos e o tão pouco que ainda não conseguimos. No afã do TER em que nos mergulhamos, como seres integrantes de uma sociedade doente, moribunda e desprovida de valores, não conseguimos enxergar as dádivas que nos são oferecidas diariamente, ao longo de nossa vida; porque o TER torna o homem insaciável e ingrato.
          O sol nasce todos os dias para que possamos enxergar o caminho e caminhar sem tropeços, para que possamos nos enxergarmos uns aos outros, enxergarmos as cores, conhecermos as formas, detectarmos os perigos que podem nos derrubar. As noites chegam todos os dias para que possamos descansar da luta diária da evolução. Evolução quase sempre tão doída pelas nossas intransigências e teimosias, querendo brincar de Deus. As vegetações crescem para que tenhamos sombra, brisa e alimentação. O ar que circula silencioso e invisível no seu eterno pulsar é o que sustenta a vida do nosso organismo físico. Os rios e mares nos fornecem a água, a umidade necessária do ar e a chuva que nos molha a terra e faz crescer as plantas que nos alimentam e alimentam os animais. E os animais, além de nos fornecerem alimentos, ainda nos alegram e nos fazem companhia... Quem não se emociona com a correria e o "abraço" de seu cão quando volta para casa depois de um dia estafante? E o cãozinho não nos pergunta nada, não nos cobra, não nos exige explicações de nada; apenas nos demonstra a sua alegria com a nossa volta para casa. Para ele, basta estarmos ali. Quem não se enternece com o canto de um pássaro anunciando um novo amanhecer ou um dia que se despede? E o Universo nos dá tudo isso de graça.
          Não nos lembramos de agradecer a Divindade quando temos saúde, família, amigos, emprego; mas é a Deus que se dirige o nosso primeiro questionamento, queixoso e muitas vezes revoltado, quando a saúde vai embora, quando nos decepcionamos com nossos amores, quando levamos um tombo na vida profissional, ou quando um ente-querido se despede desse plano físico e nos sentimos abandonados e perdidos.
          Emprestar valor a algo ou alguém é percebê-los quando estão ao nosso alcance; é viver intensamente cada segundo de uma dádiva, porque ela não é eterna. Nada é eterno na transitoriedade da evolução humana. Nada que está fora de nós é eterno, isso vale dizer que nós só temos a nós mesmos. E ser grato por aquilo que temos é aumentar a permanência desse bem ao nosso alcance, é perceber e emitir a mensagem da importância desse bem em nossa vida. O Universo vai entender e estender a convivência desse bem em nossa trajetória.
          Experimente olhar em volta ao amanhecer. Experimente agradecer a sua noite de sono em sua cama aconchegante, em seu quarto abrigado das intempéries da natureza e dos homens. Agradeça o café da manhã que você pode tomar, até mesmo aquele trabalho estafante que lhe sustenta o conforto. Agradeça diariamente esses dois seres abnegados que lhe deram a vida, que lhe protegeram enquanto ainda indefeso. E não lhes cobre perfeição, não. São seres comuns e imperfeitos como qualquer um de nós e não super-heróis. Eles cometem erros, OK? Eles ficam rabugentos, lentos e teimosos quando envelhecem. Mas muitas daquelas rugas foram feitas por nós. Agradeça os filhos que lhe dão trabalho, porque o trabalho que eles lhe dão o farão crescer mais depressa. 
          Gratidão é uma expressão de amor, do AMOR incondicional, do AMOR nascido da simplicidade e da pureza. O ser que agradece não tem soberba, não se acha o grande merecedor de toda a reverência dos homens e de Deus. Um Ser imbuído de gratidão é assim:



Próspero, Simples, Amoroso e Iluminado   
           

sábado, 2 de outubro de 2010

PARA REFLETIR


"Coragem é a ousadia de dar o primeiro passo, ou um passo diferente; é colocar seus sonhos acima de seus medos" (autor desconhecido). 


CORAGEM, seu nome é
MICHAEL JACKSON!